A saudade que doí no peito.

O amor, às vezes, é muito doloroso, pelo simples fato de sentir saudades. Pode ser saudades de um momento que passou ou que você ainda vai passar, saudades de pessoas que nos deixaram ou que partiram sem nos dar nenhuma explicação.
É uma saudade que doí no peito, e, mesmo que fingimos que não estamos sentindo, o nosso coração insiste em ficar apertado e doendo, e, de tanta dor que sentimos, os nossos olhos começam a lacrimejar.
E eu simplesmente, não consigo fazer com que a saudade pare de apertar o peito. Os dias parecem que não tem fim, e essa dor, simplesmente, aperta cada vez mais.
Não aguento mais tanta dor, tanta agonia e sofrimento, me sinto triste e abalada por essa saudade que insiste em permanecer comigo. Enquanto não encontro respostas, fico aqui no meu quarto vazio, com a minha solidão. Provavelmente, assim que cansar de chorar, essa saudade irá começar a sair do meu peito. Me desculpe, não tive a intenção e nem queria que isso estivesse acontecendo comigo, mas, a vida nos prega peças que nem sempre entendemos.

Publicado por Angel Witt

Sou formada em Jornalismo pela Universidade Feevale. Sou uma eterna apaixonada pelo jornalismo. Algumas pessoas dizem que sou louca por correr atrás dos meus sonhos. Como diria Augusto Cury, no seu livro: " De gênio e louco, todo mundo tem um pouco".

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: