A mídia no olhar de Thompson

O autor cita algumas características de comunicação em massa, afirmando que a comunicação não está ligada na quantidade de pessoas que recebem os produtos, mas sim, de que os produtos possam abranger o maior número possível de pessoas.
De acordo com Thompson (1995), o leitor pode ter voz passiva ou ativa nos meios de comunicação.
E mesmo em circunstâncias estruturadas de comunicação de massa, os receptores têm alguma capacidade de intervir e contribuir com eventos e conteúdo durante o processo comunicativo. Eles podem, por exemplo, escrever cartas ao editor, telefonar para as companhias de televisão e expressar seus pontos de vista (THOMPSON,1995, p.31).
O autor explica que a comunicação de massa surgiu de instituições que queriam “explorar novas oportunidade para reunir e registrar informações” (THOMPSON, 1995, p.32). Para poder transmitir para o maior número de destinatários, em troca de alguma remuneração financeira.
A comunicação de massa é indispensável para a comercialização das formas simbólicas de que os objetos produzidos pela mídia passam por um processo de valorização econômica. As suas formas de valorização dependem muito de como as instituições em que elas são empregadas. Thompson (1995) cita que os veículos de comunicação, como rádio e tv, a venda do tempo de propaganda é muito importante, para a valorização econômica.
O autor cita que pode haver várias maneiras de valorização das formas simbólicas, e, essas formas podem variar, pois depende de meios técnicos e das estruturas dentro dos quais estão empregadas.
Enquanto que os livros e panfletos, dependem muito da capacidade de produzir e vender cópias. Os jornais e outros impressos, combinam esse tipo de valorização, com a capacidade de vender espaço para propagandas. No rádio e da televisão, seria “a venda do tempo de propaganda” (THOMPSON,1995, p.33).
De acordo com Thompson (1995), as tecnologias e transmissões via cabo ou satélite, tem sido de muita importância para a valorização econômica.
“Os receptores dos programas de rádio e televisão, pagam diretamente (através de uma assinatura) ou indiretamente (através dos impostos) pelo direito de receber o material transmitido” (THOMPSON, 1995, p.33).
Devido aos avanços tecnológicos, das transmissões via cabo e de satélites, ou, com os pagamentos de taxas de inscrições e o uso de cartões de crédito, a mídia está tendo uma valorização econômica.
Os produtos da mídia são disponíveis, em princípio, a uma pluralidade de destinatários. Eles são produzidos em múltiplas cópias ou transmitidos para uma multiplicidade de receptores, e permanecem disponíveis a quem quer que tenha os meios técnicos, as habilidades e os recursos para adquiri-los (THOMPSON,1995, p.35).
Thompson (1995), concluiu também que esse crescimento tecnológico na mídia, não vai cessar, pois mesmo que não consiga atingir todos os públicos, por várias razões, esses produtos ainda assim, irão atingir um grupo pequeno e restrito da população.
Referência:
Thompson, B John. A mídia e a modernidade. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

Publicado por Angel Witt

Sou formada em Jornalismo pela Universidade Feevale. Sou uma eterna apaixonada pelo jornalismo. Algumas pessoas dizem que sou louca por correr atrás dos meus sonhos. Como diria Augusto Cury, no seu livro: " De gênio e louco, todo mundo tem um pouco".

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: